Policiais e religiosos já somam 10% das candidaturas

13/08/2018 | 01:31

Carlos Mazza


Primeira leva de candidatos registrados na Justiça Eleitoral do Ceará já reforça tendência em alta nas eleições dos últimos anos. Entre as primeiras 245 candidaturas oficializadas junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE), 27 - mais de uma a cada dez - são de pessoas ligadas a movimentos religiosos ou agentes de segurança, sobretudo policiais militares.

 

Como os partidos nem sempre preenchem corretamente a profissão dos candidatos no registro, número de candidaturas com esse perfil pode ser ainda maior. A inscrição de concorrentes segue ocorrendo até esta quinta-feira, 15. Em 2014, foram registrados 875 candidatos para os mesmos cargos em disputa neste ano.

 

Ao todo, 12 policiais militares, três policiais civis, um policial federal e um bombeiro militar já aparecem no sistema de candidaturas da Justiça Eleitoral. Todos os candidatos ligados a corporações militares optaram por mostrar as patentes no nome de urna. No campo da religião, já estão registrados para a disputa sete pastores e dois bispos evangélicos, além de um missionário católico.

 

A maioria dos nomes registrados até agora disputa cargos de deputado estadual e federal, com um único candidato ao senado, pastor Pedro Ribeiro (PSL). Alguns pré-candidatos notórios dos mesmos grupos, como a pastora Dra. Silvana (PR), ainda não foram confirmados. Também militar, o candidato do PSDB ao governo, General Theophilo, ainda não entrou no sistema.

 

Além de revelar tendência de mais candidaturas religiosas e da segurança, dados da Justiça Eleitoral já exibiam ontem registros - bem como a declaração de bens - de 18 políticos em busca de reeleição. Deste total, 8 tiveram incremento de pelo menos 50% no patrimônio que declaram quando se elegeram para os atuais cargos, em 2014.

 

Entre os que ampliaram os bens, o que teve crescimento mais pronunciado foi Vaidon Oliveira (Pros), com aumento de 250% no patrimônio. Eleito vereador de Fortaleza em 2012, Vaidon foi alçado à Câmara Federal no final de 2016, quando o ex-deputado Moroni Torgan (DEM) renunciou ao cargo para assumir como vice do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

 

Outros cinco parlamentares declararam ainda terem perdido patrimônio desde 2014. Maior redução foi revelada pelo deputado estadual Leonardo Araújo (MDB), que apontou uma involução de 16,4% de bens. Já o deputado estadual e ex-secretário dos Esportes David Durand (PRB) declarou não possuir quaisquer bens.

 

Sem contar com o senador Eunício Oliveira (MDB), a média de crescimento do patrimônio dos outros 17 candidatos à reeleição já registrados foi de 38,7% em quatro anos. Eunício não é considerado pois, como concentra sozinho muito mais patrimônio do que todos os outros candidatos somados - com R$ 89,2 milhões neste ano -, ele iria distorcer o cálculo.

 

Até ontem, já estavam incluídos nos dados da Justiça Federal registros de chapas proporcionais de pelo menos 11 partidos políticos - MDB, PSD, Solidariedade, PRB, PcdoB, PSC, PHS, PTB, Pros, Podemos e Avante. Maiores siglas do Ceará, PDT e PT ainda não aparecem nos cadastros do TRE-CE.

 

Registro

Partidos e coligações terão até as 19h de 15 de agosto para pedir o registro dos candidatos escolhidos em convenções partidárias. Pedidos precisam ser deferidos pela Justiça Eleitoral.

 

Recomendadas para você

Comentários

  • Imóveis
  • Veículos