{'atualizado_em': '2016-09-27', 'breadcrump': '/fortaleza', 'dados': {'destaque': [{'titulo': None, 'img': None, 'descricao': None}], 'foto': [{'arquivo_grande': '', 'credito': '', 'link': '', 'legenda': 'Vitor Hugo ganhou credencial para participar de feiras na Europa (Foto: Arquivo Pessoal)', 'arquivo': 'ns181/app/noticia_146418291334/2016/09/27/230851/projeto-cientifico-cearense-O-POVO1.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}], 'tags': ['cientista cearense', 'premia\xe7\xe3o nacional', 'patroc\xednio'], 'has_galeria': False, 'has_audio': False, 'data_edicao': None, 'has_video': False, 'quotes': [], 'autor': [{'id_conteudo': 230851, 'id_autor': 6, 'email': 'amandaaraujo@opovo.com.br', 'nome': 'Amanda Ara\xfajo'}], 'antesdepois': [], 'video': [{'embed': '', 'id_video': 83042}], 'editor': True, 'titulo': 'Cientista cearense ganha pr\xeamio nacional e busca apoio para participar de feiras na Europa', 'tipo_noticia': 'Normal', 'corpo': '

[FOTO1] 

O cientista cearense Vitor Hugo Sampaio, 23, conquistou medalha de prata na 2ª edição da Infomatrix Brasil, realizada entre os dias 13 e 16 deste mês, em Lages (SC). Agora, o bolsista da Fundação Cearense de Meteorologista e Recursos Hídricos (Funceme) busca apoio financeiro para apresentar seu projeto de aperfeiçoamento de dados climáticos em duas feiras na Europa.

Aluno do 9º semestre do curso Engenharia Ambiental e Sanitária do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Vitor afirma que precisa do patrocínio para custear passagens e estadia para a Exporecerca (em março de 2017, na cidade de Barcelona) e a Vences - Verano Nacional Científico para Estudiantes Sobresalientes (em julho de 2017, em Guadalajara).

O projeto que garantiu a prata ao universitário é financiado pela bolsa da Funceme/Funcap e intitulado “Aperfeiçoamento do Sistema de Avaliação de Dados Ambientais coletados por PCDs: Qualidade e Precisão no Fomento à Pesquisa e Estudos de Tempo e Clima”. Segundo o cientista, PCDs são plataformas de coleta, armazenamento e transmissão de dados ambientais, como pressão atmosférica e umidade relativa do ar.

A pesquisa tem o objetivo de automatizar o processo de validação desses dados, que atualmente é feito de forma manual. Com isso, será possível disponibilizar dados "mais próximos da climatologia local''. "Esses dados são coletados ao longo do tempo para pesquisas e estudos acadêmicos. [O projeto] vai gerar um novo arquivo com código para dizer se aquele dado é bom ou se está destoante da climatologia. É também um alerta para detectar defeitos em algum equipamento", explica.

O projeto de aperfeiçoamento de dados também garantiu ao cientista, em julho desde ano, medalha de prata na Expo MILSET Brasil, que o classificou para a Expo Sciences International (ESI) 2017, que será realizada em Fortaleza. O projeto está em fase de testes e o prazo final para a conclusão é setembro do próximo ano, quando o contrato da bolsa dele será encerrado.

“Eu sempre fui muito interessado pelo meio ambiente, sempre pensei em projetos sociais para impactar a sociedade de alguma forma. Em 2012, quando virei bolsista e entrei nesse mundo da ciência, que até então eu não tinha oportunidade de conhecer, me apaixonei”, narra o estudante.

Trajetória
Vitor nasceu em Fortaleza e coleciona premiações e participações em feiras científicas. Em setembro de 2014, viajou para a Espanha por meio do programa Ciências Sem Fronteiras. No mesmo ano, ficou em terceiro lugar na modalidade Ciências Exatas e da Terra, do Movimento Científico Norte e Nordeste (MOCINN).

Com o projeto “Referencial Verde”, ele também ganhou medalha de bronze como palestrante nas conferências da InfoMatrix Brasil 2016. Desenvolvido nas redes sociais, o projeto visa o compartilhamento de ideias sustentáveis para melhorar a relação da sociedade com a natureza.

Segundo ele, o “Referencial Verde” foi pensado durante o intercâmbio na Europa. “Eu comecei a fazer observações sobre tecnologias voltadas para a qualidade de vida das pessoas e quis compartilhar isso no Brasil”, completa.

SERVIÇO
Para ajudar, entre em contato com o universitário pelo e-mail vitorsampaio.engambiental@gmail.com

', 'descricao': 'Vitor precisa do patroc\xednio para custear passagens e estadia em feiras que ser\xe3o realizadas em 2017', 'titulo_categoria': 'DESTAQUE'}, 'expira_em': None, 'seo_description': 'Vitor precisa do patroc\xednio para custear passagens e estadia em feiras que ser\xe3o realizadas em 2017', 'atualizado_datahora': '2016-09-27 11:55', 'content_published': True, 'seo_keywords': '"cientista cearense" "premia\xe7\xe3o nacional" "patroc\xednio"', 'id_aplicativo': 1, 'voto': 0, 'id_treeapp': 200, 'publicado': True, 'acesso': 1233, 'comentario': 0, 'id_site': 181, 'publicado_em': '2016-09-27 11:09', 'id_content': 5665650, 'url': 'http://www.opovo.com.br/noticias/fortaleza/2016/09/cientista-cearense-ganha-premio-nacional-e-busca-patrocinio.html', 'seo_title': 'Cientista cearense ganha pr\xeamio nacional e busca patroc\xednio ', 'id_conteudo': 230851L, 'meta_type': 'noticia', 'titulo': 'Cientista cearense ganha pr\xeamio nacional e busca apoio para participar de feiras na Europa', 'creators': ['Amanda Ara\xfajo'], 'schema': 'noticia_146418291334'}
DESTAQUE

Cientista cearense ganha prêmio nacional e busca apoio para participar de feiras na Europa

27/09/2016 | 11:09
Cientista cearense ganha prêmio nacional e busca apoio para participar de feiras na Europa

Amanda Araújo

 

O cientista cearense Vitor Hugo Sampaio, 23, conquistou medalha de prata na 2ª edição da Infomatrix Brasil, realizada entre os dias 13 e 16 deste mês, em Lages (SC). Agora, o bolsista da Fundação Cearense de Meteorologista e Recursos Hídricos (Funceme) busca apoio financeiro para apresentar seu projeto de aperfeiçoamento de dados climáticos em duas feiras na Europa.

Aluno do 9º semestre do curso Engenharia Ambiental e Sanitária do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Vitor afirma que precisa do patrocínio para custear passagens e estadia para a Exporecerca (em março de 2017, na cidade de Barcelona) e a Vences - Verano Nacional Científico para Estudiantes Sobresalientes (em julho de 2017, em Guadalajara).

O projeto que garantiu a prata ao universitário é financiado pela bolsa da Funceme/Funcap e intitulado “Aperfeiçoamento do Sistema de Avaliação de Dados Ambientais coletados por PCDs: Qualidade e Precisão no Fomento à Pesquisa e Estudos de Tempo e Clima”. Segundo o cientista, PCDs são plataformas de coleta, armazenamento e transmissão de dados ambientais, como pressão atmosférica e umidade relativa do ar.

A pesquisa tem o objetivo de automatizar o processo de validação desses dados, que atualmente é feito de forma manual. Com isso, será possível disponibilizar dados "mais próximos da climatologia local''. "Esses dados são coletados ao longo do tempo para pesquisas e estudos acadêmicos. vai gerar um novo arquivo com código para dizer se aquele dado é bom ou se está destoante da climatologia. É também um alerta para detectar defeitos em algum equipamento", explica.

O projeto de aperfeiçoamento de dados também garantiu ao cientista, em julho desde ano, medalha de prata na Expo MILSET Brasil, que o classificou para a Expo Sciences International (ESI) 2017, que será realizada em Fortaleza. O projeto está em fase de testes e o prazo final para a conclusão é setembro do próximo ano, quando o contrato da bolsa dele será encerrado.

“Eu sempre fui muito interessado pelo meio ambiente, sempre pensei em projetos sociais para impactar a sociedade de alguma forma. Em 2012, quando virei bolsista e entrei nesse mundo da ciência, que até então eu não tinha oportunidade de conhecer, me apaixonei”, narra o estudante.

Trajetória
Vitor nasceu em Fortaleza e coleciona premiações e participações em feiras científicas. Em setembro de 2014, viajou para a Espanha por meio do programa Ciências Sem Fronteiras. No mesmo ano, ficou em terceiro lugar na modalidade Ciências Exatas e da Terra, do Movimento Científico Norte e Nordeste (MOCINN).

Com o projeto “Referencial Verde”, ele também ganhou medalha de bronze como palestrante nas conferências da InfoMatrix Brasil 2016. Desenvolvido nas redes sociais, o projeto visa o compartilhamento de ideias sustentáveis para melhorar a relação da sociedade com a natureza.

Segundo ele, o “Referencial Verde” foi pensado durante o intercâmbio na Europa. “Eu comecei a fazer observações sobre tecnologias voltadas para a qualidade de vida das pessoas e quis compartilhar isso no Brasil”, completa.

SERVIÇO
Para ajudar, entre em contato com o universitário pelo e-mail vitorsampaio.engambiental@gmail.com